Portal Eletricista

Dicas Gerais sobre instalação elétrica



Qual a diferença entre disjuntor curva B e C?

Qual a diferença entre disjuntor curva B e C?
182 Flares Twitter 0 Facebook 182 Google+ 0 182 Flares ×

Antes de você descobrir a diferença entre o disjuntor curva B e C é preciso saber o que são os disjuntores termomagnéticos. Os disjuntores termomagnéticos são chaves automáticas que desarmam ou desligam quando alguma corrente elétrica ultrapassa os valores estabelecidos como valores de segurança ou em casos de curto-circuito.

Quadro de Disjuntor – Passo a passo
Tabela de Disjuntores – Como escolher
Como fazer o dimensionamento de disjuntores

Quando eles desarmam, os disjuntores cortam a passagem da corrente elétrica. Nesse momento é preciso iniciar uma averiguação para descobrir qual a causa do problema e realizar o conserto e/ou a manutenção. Caso o circuito volte ao normal, a chave poderá ser armada novamente sem que haja a necessidade de substituição do disjuntor.

Existem 3 tipos de disjuntor:

  • Unipolar: são correntes de 2,4,6,10, 20 2 25 ampères;
  • Bipolar: são correntes com tensão de 240v ou 110/220v;
  • Tripolar: são correntes com tensão de 240v a 480v e correntes de 15 até 100 ampères;

Ainda existe outra divisão, que são as curvas de disparo ou desarme:

  • B: eles são indicados para cargas resistivas com uma pequena corrente de partida, como os aquecedores elétricos, lâmpadas incandescentes e os fornos elétricos.
  • C: eles são indicados para as cargas que possuem uma corrente média de partida, como os motores elétricos, lâmpadas fluorescentes e as máquinas de lavar roupas.
  • D: já eles são indicados para as grandes maiores de corrente de partida, a exemplo dos transformadores BT/BT (baixa tensão).

A norma de proteção NBR 5410 e NBR 5459-ABNT estabelecem que os disjuntores de curva B devem atuar para correntes de curto-circuito entre três e cinco vezes a corrente nominal, já os de curva C atuam entre cinco e dez vezes a corrente nominal e, por fim, os disjuntores de curva D devem responder para correntes entre dez e vinte vezes a corrente nominal.

Conhecendo um pouco mais sobre o fator potência

O fator de potência é uma das características mais exigidas nas instalações industriais, pois os equipamentos que são instalados nas indústrias devem possuir um controle efetivo devido ao alto valor do custo da manutenção. Esse também é um dos fatores que contribuem para que a fiscalização torne-se um item obrigatório do fator de potência.

 

Olhando assim pode parecer muito complexo o entendimento, mas espero que todas as explicações a seguir possam te ajudar a compreender esse assunto que é um pouco complexo e exige cálculos matemáticos precisos, além de ser direcionado ao eletrotécnico industrial.

 

Quando aplicamos uma tensão elétrica senoidal em uma carga resistiva (equipamentos a base de resistência para produção de calor na maioria das vezes), a corrente que circula pela carga (resistência), deve acompanhar instantaneamente as variações de tensão. Mas a maioria dos circuitos que são alimentados pela corrente alternada não se comporta como se fossem uma resistência pura.

 

Eles podem possuir características indutivas ou capacitivas, como por exemplo: motores, transformadores e outros equipamentos que trabalham com campos magnéticos criados por bobinas de indução.
Nesses casos, a corrente não acompanha a variação de tensão em tempo real, mas podem sofrer um retardo ou adiantamento.

Postar Comentários

Comentários

Tags:

POSTAR UM COMENTÁRIO


182 Flares Twitter 0 Facebook 182 Google+ 0 182 Flares ×