Categorias
Curiosidades

Conheça um pouco mais sobre aplicação e funcionamento dos comandos elétricos.

Ao estudar sobre eletricidade, vemos o termo “comandos elétricos“, eles são responsáveis por realizar o uso devido da energia produzida ao final do processo de redução de tensão e do transporte para o consumo mais simples. Os comandos elétricos são relevantes para qualquer tipo de manipulação elétrica. h

Os comandos elétricos tem como função conduzir a corrente elétrica em motores elétricos em circuitos, trabalhando em motores, como é o caso dos motores síncronos, motores de passos e corrente contínua.

Em um painel elétrico de operação, temos os principais objetivos dos comandos elétricos, proporcionar a proteção do operador e favorecer a lógica nos comandos.

Seguindo esse princípio, os comandos elétricos seguem um modelo básico para que haja o acionamento do motor elétrico, de acordo com os tópicos abaixo:

  • Proteção contra correntes de curto-circuito:  são os dispositivos ou meios que tem como objetivo garantir a proteção dos condutores no circuito nas extremidades interna e externa.
  • Proteção contra correntes de sobrecarga: realiza a proteção das bobinas que estão ao redor do motor.
  • Dispositivos de manobra: tem como função de desligar o motor, evitando com que o colaborador tenha contato com o circuito da potência onde há uma passagem de corrente maior.
  • Seccionamento: é o elemento que só pode ser manipulado quando estiver sem carga, isso garante a segurança do operador. Servindo para realizar a manutenção de operações de verificação no circuito.

Quais os principais componentes do Comando Elétrico?

No painel elétrico há uma configuração extensa com variedades de potências e voltagens com diversas ferramentas a comandos específicos e aplicabilidade específica de acordo com a necessidade dos comandos elétricos.

  • Relés

São os interruptores eletromecânicos que tem como função que atuam no circuito quando a corrente passa pela bobina interna deles. Por mais que tenha aplicações externas, o mecanismo é bem básico para ligar e desligar os circuitos.

  • Fusíveis

São os elementos eletromecânicos dos comandos elétricos, muito utilizados nas estruturas elétricas de diversos prédios, construções e estabelecimentos. Tem como principal função protegê-lo contra eventuais queimas, sobrecargas, e curto-circuitos, evitando que ocorram acidentes domésticos e outros tipos de transtorno.

  • Botão de Comando

Carrega uma função especial nos circuitos elétricos, funcionando como uma chave especial onde por uma mola ele é acionado, retornando à posição original. Agindo nos circuitos fazendo o controle elétrico desliga e liga nos sistemas.

  • Disjuntores

São elementos eletromecânicos que fazem a proteção do circuito contra sobrecargas e curto-circuitos que derivam da desestabilização na temperatura de onde é operado o circuito ou em falhas internas.

  • Contadores

São semelhantes ao relés, sendo um dispositivo eletromecânico de comando elétrico que pode ser operado a distância, sendo a sua principal função controlar a passagem de correntes intensas. É ideal em motores elétricos com alta potência.

  • Relé de Sobrecarga

É o tipo de dispositivo que protege contra sobrecargas e curtos-circuitos. Seu funcionamento deriva da dilatação frente a corrente acima do suportado pelo circuito.

De forma geral, os comandos elétricos seguem a simbologia padrão para operar os comandos e fazer o uso certo da corrente elétrica em circuitos.

Categorias
Dicas

O que é e como funciona um relé termostato e uma botoeira de emergência?

O relé termostato é o circuito que faz o controle térmico de alta precisão, também é conhecido como termostato eletrônico, contendo um controle automático de temperatura que ativa um relé de acordo com a temperatura, por ser um sensor, ele utiliza um circuito integrado que detecta a temperatura.

O que é relé fotoelétrico? dicas, passo a passo

Sistema com relé de impuo? dicas, passo a passo

O funcionamento é simples, quando ele detecta uma temperatura acima do nível padronizado, o relé é acionado e quando a temperatura diminui abaixo da desejada, o relê desliga.

Como funciona o termostato com relê?

O coração do circuito é integrado, indo de 0 a 100 C, sendo o sensor de temperatura na escala Celsius, calibrado de fábrica em uma escala linear, função de conversão Volt para Gray.

O Circuito do Termostato eletrônico com relé, a tensão de saída muda linearmente com a temperatura de 0 C para 100 C. Isso faz com que o circuito fique muito mais simples, necessitando apenas de uma referência de tensão com precisão que é fornecida pelo circuito integrado e um comparador preciso com circuito integrado, com propósito de construir um interruptor térmico controlado, o famoso termostato.

A pré-seleção do controle de temperatura deve ser feito pelo trimpot e o resistor a partir de um divisor de tensão variável que vai definir uma tensão de referência na forma 0V ~1.62V.

Como fazer a montagem de um Quadro de distribuição? dicas, passo a passo

Aprenda como fazer a instalação de um ar condionado split – dicas, passo a passo

Com a ajuda do amplificador operacional, há isolamento da tensão de referência, com objetivo de evitar a sobrecarga da rede divisora.

O comparador faz a comparação da tensão de referência Vref com a tensão de saída, decidindo se é para energizar ou desenergizar o relé.

A função do circuito é proporcionar um pouco de histerese, que auxilia a evitar a retransmissão de vibração. Sendo a histerese é inversamente proporcional.

O circuito do termostato pode ser alimentado por qualquer fonte DC de 12 volts com pelo menos 100 ma. Mas a calibração não tem a menor necessidade de um instrumento especial, o acionamento do relé pode ser definido como em qualquer temperatura entre 0 e 100 C.

O botão cogumelo ou botoeira de emergência

É normal quando queremos construir um circuito em que o botão cogumelo seja acionado só para casos de emergia, mas ele também serve para desligar o sistema caso este precise de manutenção.

Ele é usado para desligar o comando caso ocorra algum tipo de anomalia ou quando desejam fazer algum tipo de manutenção onde é necessário o desligamento.

O botão funciona como uma retenção ao ser acionado através da pressão sobre a sua estrutura. Ele fica retido em sua posição final e para que volte à posição inicial, é preciso girá-lo em sentido horário de modo a promover o seu destravamento, essa manobra torna o dispositivo muto segurado, evitando qualquer tipo de manobra inadvertidas. Isso serve para que se tenha segurança.

É comum que seus contatos de proteção são Normalmente Fechado (NF) usados para desligar o circuito e Normalmente Aberto (NA) para fazer a sinalização da condição de emergência.

Categorias
Dicas

O que é um timer ou temporizador? para que serve? dicas, passo a passo

Os temporizadores ou timer são aqueles produtos adaptáveis e compatíveis com qualquer estilo de vida e independente de qual seja a sua necessidade. Eles são fundamentais para as pessoas que precisam programar para desligar ou ligar aparelhos eletrônicos.

Como exemplo temos TVs, ventiladores, ar condicionado, aparelhos de som, iluminação, entre outros. O timer é o dispositivo que tem a capacidade de medir o tempo, o que faz com que ele controle um processo ou evento.

Como instalar um condensadora de ar condicionado split – dicas, passo a passo

Quanto tempo dura o gas de um ar condicionado? dicas, passo a passo

Como escolher o ar condicionado ideal ? dicas, passo a passo

Para quem gosta de dormir com a TV ligada, por exemplo, é um timer, chamado de função sleep, nele você programa por quanto tempo mais quer deixar a televisão ligada, depois desse tempo ela irá desligar.

Já para quem quer que a TV sempre ligue no horário de um programa específico, basta programar o horário e o dia da semana que ela precisa ligar, então no horário e dia programado a TV irá ligar.

O que é um timer?

 É um temporizador que funciona com um sistema que pré- estabelece por meio de uma configuração prévia o momento que irá ligar ou desligar um circuito de energia. Eles têm sido muito usados para configurar horários de irrigação de jardins, controlar o horário de funcionamento da iluminação, espaços de lazer, centrais que fazem o aquecimento ou a refrigeração, sistemas de piscina, entre as suas outras milhares de facilidades que ele proporciona.

Com o avanço da tecnologia, o timer tem sido cada vez mais usado e costuma já vir instalado nos equipamentos eletrônicos e quando os temporizadores ou timer não vem acoplados ao equipamento, acabam sendo aquele tipo de dispositivo que é bem fácil de fazer a instalação.

Pra que serve o timer?

Ele proporciona muito mais conforto, porque lhe ajuda a controlar tudo sem perder tempo, podendo ser uma ótima opção para quem quer economia, já que o circuito vem programado e pronto para funcionar apenas quando for necessário, desligando automaticamente, quando for o momento.

Como fazer um temporizador caseiro?

Muita gente pergunta se é possível fazer um timer caseiro, e sim é viável! Com sucata de microondas é fácil, isso porque nele há um microprocessador e com ele é previsível programar o tempo para ele ativar o relé, podendo assim ligá-lo onde for preciso, sem que haja a necessidade de uma corrente muito alta, caso seja necessário um relé com uma capacidade maior para suportar o equipamento, busque algo com mais força.

Pode ser usada uma lâmpada incandescente de 100 W e que poderá ser ligada em série como o relé em ligação simples, sem qualquer tipo de complicação e podendo ser programada em quantos minutos você desejar.

Assim a tomada é ligada ao transformador que fica na placa, para isso, basta retirar a placa soltando 2 parafusos, solde o primeiro pino intercalando o do meio e ligando a outra ponta do fio da tomada, depois disso, use o relé para servir como uma espécie de interruptor.

É nesse momento que se deve ficar atento, o segredo está nos três fios que tem ali, deve-se ligar o primeiro e terceiro e pular o segundo, assim você poderá conectar dentro do microondas com segurança.

Categorias
Dicas

O que é iluminação indireta e como utiliza-la?

Sem dúvidas a iluminação modifica o ambiente e é algo que deve ter sua relevância levada em consideração na hora de projetar um ambiente. É preciso saber como aplicar a iluminação indireta de acordo com o estilo do lugar e qual o objetivo que você quer transmitir pelo cômodo, adequando assim a necessidade de luminosidade do ambiente.

Iluminação automática de baixo custo – dicas, passo a passo

Como preparar um plano de iluminação ? dicas, passo a passo

Aprenda como fazer a instalação de ar condicionado split – dicas, passo a passo

Assim, um dos focos da iluminação é evidenciar detalhes de arquitetura ou da decoração de cada projeto. Vemos a importância do uso correto da iluminação indireta com o ganho de espaço e cada vez mais sendo reconhecida no mercado.

Como usar a iluminação indireta?

Esse tipo de iluminação indireta não tem um objeto ou espaço direto para iluminar, ela ilumina o lugar como um todo, como se fosse uma luz de ambientação. A iluminação indireta incide na superfície só para depois refletir para iluminar outros pontos de maneira uniforme. Para que haja a otimização em sua reflexão, é indispensável que as superfícies reflexivas predominem as cores claras.

Por ser uma iluminação menos invasiva ao ambiente e não alterar a temperatura, acaba criando um ambiente aconchegante. Também acaba sendo uma forma menos óbvia para decorar sua fachada ou um cômodo de sua casa, por exemplo, além de ser multifuncional, podendo ser utilizada de diversas maneiras.

Um de seus principais objetivos é iluminar discretamente e uniforme, trazendo conforto visual. Vale evitar usar a iluminação indireta em ambientes escuros, caso precise de mais pontos de luz, é interessante recorrer a fontes de iluminação.

Uma idéia interessante para o projeto de iluminação é usar tanto a iluminação direta como a indireta, mas tendo o cuidado para não deixar o ambiente carregado e evitando que o lugar fique escuro com o uso apenas da iluminação indireta.

A iluminação indireta precisa ser posicionada em sancas de gesso, no forro, em detalhes da parede e chão ou em uso de luminárias com filtros com efeito fosco.

É comum encontrarmos a iluminação indireta posicionada para cima, isso para que não seja criada sombra da luz, ofuscar o lugar e fazer a iluminação de modo uniforme.

Como é feita a Iluminação indireta com LED?

A iluminação de LED é aquela que nos proporciona mais liberdade para criar e é usada em todos os tipos de ambientes.

Algumas das vantagens da fita de LED é ter alta durabilidade, economia de energia, ser sustentável e ter uma instalação mais fácil. Além de ser muito funcional, proporcionando decorações modernas ao ambiente.

É possível encontrar as fitas de LED em uma série de cores e é a mais usada para ter iluminação indireta, já que ela simula lâmpadas fluorescentes. Em ambientes como cozinhas, é comum o uso das fitas para iluminar bancadas quando estas são instaladas sob bancadas americanas ou armários aéreos.

Muitas pessoas gostam de utilizar a iluminação indireta com LED em banheiros, iluminando as paredes da pia e espelho, onde elas se encontram atrás deste. Já em ambientes como quartos e salas é comum usar o LED em sancas de gesso para iluminar as cortinas suavemente, unindo-se a estas na decoração.