Categorias
Dicas

Partida de um motor elétrico – Direta ou Indireta – dicas, passo a passo

Com relação à partida de um motor elétrico (que pode ser classificada como direta ou indireta), existem algumas considerações a realizar sobre os seus dispositivos de proteção – nomeadamente o fusível e o relé térmico – que, devendo ser ligados em série com cada fase do motor, têm por objetivo proporcionar uma maior segurança no que respeita à ligação e utilização do motor elétrico nas atividades a que ele se destina.

Motores elétricos – dicas
Motor Trifásico – dicas
Comandos elétricos

Saiba então quais são esses dispositivos (e como funcionam!) e conheça as diferenças entre a partida direta e indireta, seus benefícios e suas desvantagens!

Fusível

O fusível pode ser descrito como um metal que possui uma temperatura de fusão conhecida, com encapsulado por uma redoma feita de vidro ou material plástico isolante. Quando passa por um processo de aquecimento significativo, o metal derrete e interrompe a passagem da corrente elétrica, protegendo assim a fase do motor.

Relé Térmico

Sensível ao aumento da temperatura, o relé térmico é construído com recurso a lâminas bimetálicas que se deformam e que são capazes de abrir o circuito em caso de a fase do motor aquecer em excesso. Além disso, o relé térmico se destaca por uma particularidade muito positiva, a sua permanente capacidade de reutilização, o que faz dele uma peça muito interessante no quesito custo-benefício por conta do seu elevado período de durabilidade.

 

Partida direta: o que é?

Por norma, um motor inicialmente parado, ao ser ligado, sofre um pico de corrente entre 6 a 10 vezes superior à corrente de trabalho desse mesmo motor quando está funcionando. Esse aumento elevado se faz necessário para que a inércia inicial do rotor seja vencida e, por conseqüência, é normalizado quando há uma aceleração até sua velocidade de operação plena.

Assim, por partida direta se entende o ato de ligar as bobinas do motor na fonte de corrente alternada, realizada com segurança por meio dos comandos elétricos. Em termos de benefícios, a partida direta é simples de implementar, necessitando de poucos componentes e de um motor de apenas três saídas; com relação às suas desvantagens, este tipo de partida demanda o superdimensionamento dos dispositivos de proteção para resistir à corrente de pico inicial, o que conduz ao desgaste mais rápido do motor.

Partida indireta, ligação em estrela-triângulo

Por sua vez, a partida indireta é outro método de ativação de motores, que visa a redução do pico inicial de corrente elétrica e cujo funcionamento passa pela ligação do motor de modo a passar uma corrente menos elevada no início, até que ele deixe o estado de inércia. Seguidamente, há lugar à mudança da ligação das bobinas com comandos elétricos para que a corrente total atravesse o motor e ele possa desenvolver a rotação nominal – e, conseqüentemente, evitar o pico da corrente elétrica.

Uma das formas mais conhecidas da partida indireta é a partida em estrela-triângulo, cuja denominação se deve ao seu tipo de ligação (em estrela e em triângulo) com relação aos motores trifásicos – isto é, que possuem três bobinas para o funcionamento do motor em causa.

 

 

Categorias
Dicas

O que é melhor fio sólido ou cabo flexível?

Quando você resolve realizar um circuito de tomada ou mesmo que seja de iluminação em seu imóvel, por mais que você contrate um profissional da área sempre ocorrerá a dúvida sobre a utilização de fios ou cabos, qual é o melhor para a situação em questão.

Cabo PP – dicas
Como passar um cabo de energia
Eletrofita – dicas

O que acha, o cabo é melhor que o fio?

Essa é uma das principais questões levantadas entre profissionais e curiosos. Vamos a resposta, em partes para que fique melhor para você entender. De acordo com a norma técnica NBR 5410, que especifica as instalações elétricas de baixa tensão no Brasil, fica determinado que para a seção mínima (bitola) para as tomadas de uso geral é 2,5mm² e para os circuitos de iluminação é 1,5mm², independente de ser fio sólido, cabo rígido ou cabo flexível, pois possuem a mesma capacidade de condução de corrente.

Embora os fios sólidos, cabos rígidos e  os flexíveis tenham exatamente as mesmas aplicações, durabilidade, qualidade e capacidade de transmissão de energia numa mesma seção nominal, a escolha de um ou outro passa pela flexibilidade, ou seja, depende muita da necessidade. “Os cabos flexíveis proporcionam maior facilidade no manuseio. Eles deslizam mais facilmente nos eletrodutos além de deixar mais ágil a instalação. O gerente da SIL alerta que ao instalar cabos flexíveis é necessário uma atenção especial ao descascar as pontas para efetuar as conexões; fio sólido e cabo rígido requerem cuidado no momento de passá-los pelo conduíte, para que a isolação não seja danificada.

E quanto à Preferência regional

A finalidade da instalação definirá a escolha do produto, porém, é imprescindível o correto dimensionamento realizado por um profissional habilitado, que esteja apto a definir a carga necessária para a instalação elétrica do projeto em questão, a quantidade de circuitos (tomadas e pontos de luz), a capacidade dos disjuntores, a seção nominal dos condutores entre outros aspectos.

No entanto, a preferência pela utilização de fios ou cabos nos projetos de eletricistas e instaladores ainda segue fortes aspectos culturais, que variam de região para região do País. Observam-se diferenças marcantes no consumo em cada Estado, embora isto esteja mudando gradativamente, por conta dos novos profissionais, que saem das escolas com melhor conhecimento e entendimento dos produtos disponíveis no mercado e seus benefícios, independentemente da tradição, e pelos preços cada vez mais equilibrados. “Mesmo nos mercados onde a cultura de utilização do fio sólido é mais forte, o cenário está mudando e cada vez mais se utiliza o cabo flexível, devido à facilidade de trabalho que oferece”, confirma o gerente da SIL.

É possível traçar um breve cenário sobre essas demandas: o fio sólido e cabo rígido são mais utilizados no Norte, Nordeste e Centro-Oeste; as regiões Sul e Sudeste consomem mais os cabos flexíveis. A SIL observa também uma maior procura do cordão flexível torcido nos estados do Norte e Nordeste. Já o cordão flexível paralelo é um item bastante utilizado em todo o Brasil. “Imaginamos que a difusão de informações de tecnologia, segurança e preços semelhantes deverão, em breve, modificar este quadro”, conclui.

Categorias
Dicas

Como substituir resistência de torneira elétrica

Se você estava pensando em ter um pouco mais de comodidade para lavar suas louças e pensou em instalar sua torneira elétrica, tenho que certeza que nesse momento surgiu a seguinte dúvida, como eu vou conseguir substituir a resistência da torneira elétrica? Essa dúvida, você não precisa mais ter pois hoje com este artigo suas duvidas irão acabar.

Aprenda como fazer a instalação de Ar Condicionado Split
Aprenda como instalar um ventilador de teto
Aprenda como fazer a montagem de um Quadro de Distribuição

A torneira elétrica faz com que lavar a louça seja um momento muito mais fácil e agradável, pois no inverno a água congelando batendo em seus dedos não é uma sensação das mais agradáveis. Para maior comodidade e eficiência na limpeza, oferece água em três temperaturas: fria, morna e quente, que eliminam gorduras economizando tempo, água e detergente. Apesar de parecer impossível, com a instalação da torneira elétrica você conseguirá economizar bastante seu tempo e dinheiro, pois o investimento em desengordurantes e detergentes serão mínimos.

 

Quais os cuidados com a instalação da resistência:

  • Verifique se o disjuntor e todos os fios que compõem essa instalação estão atendendo a todas as especificações do aparelho. Estes itens são indispensáveis para a segurança e o desempenho do aparelho.

 

  • Não deixe o disjuntor desligado sempre que for realizar qualquer instalação ou manutenção dos aparelhos. Antes de ligar o aparelho à sua rede elétrica, deixe correr água fria pelo aparelho por 1 minuto para evitar que a resistência queima por ainda não estar adaptada à temperatura e ainda para verificar se existem vazamentos.

 

  • Para a conexão dos fios, é recomendado que utilize os conectores elétricos adequados. Jamais utilize os plugues e as tomadas para a instalação. O fio terra (fio de cor verde) é fundamental para a segurança do usuário, pois ele garante que não ocorra choques elétricos por descargas. Todos os “aparelhos” possuem esse fio terra que deve ser conectado ao fio terra correspondente da sua instalação. Se a sua instalação elétrica não possuir o fio terra, procure um eletricista. Principalmente se você morar em regiões onde houver muita ocorrência de tempestades com raios, onde os aparelhos elétricos podem sofrer impactos.

 

Troca da resistência

Os modelos mais recentes possuem resistência de aquecimento anti-choque blindadas, para garantir segurança e maior durabilidade da resistência, que é a primeira a queimar quando o uso é intenso, além de serem projetadas para não terem vazamentos devido a perfeita vedação, proporcionando acionamento suave e eficaz, tanto na abertura como no fechamento.

 

Existem produtos no mercado com desempenho aprovado pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem – PBE do INMETRO. Possui sistema de aterramento o que garante segurança total ao usuário.

 

A instalação ou troca de resistências, se você não possuir experiência em fazer este tipo de trabalho, deve-se sempre ser solicitado à ajuda de um profissional habilitado, pois a troca exige muito cuidado, mesmo porque o equipamento utiliza energia elétrica. Não coloque sua saúde em risco, realizar qualquer alteração em itens que estejam conectados na rede elétrica você pode estar expostos à diversos riscos, até mesmo a morte, causado por uma descarga elétrica. Portanto, se estiver seguro, busque auxílio profissional.

 

Categorias
Dicas

Chuveiro economico – Qual o mais economico, dicas, passo a passo

O chuveiro elétrico sempre é apontado como o principal vilão dos gastos em energia elétrica, porém quando utilizado corretamente é o aparelho elétrico mais eficiente. Qual é o chuveiro economico ? O alto índice de consumo causado pelo chuveiro elétrico de acordo com os fabricantes e dos profissionais da área deve-se aos excessos que são cometidos pelo consumidor no momento do banho e também por falta da instalação adequada de toda a fiação elétrica que corresponde ao chuveiro.

Como trocar a resistência do seu chuveiro
Montagem de um quadro de distribuição
Disjuntor para chuveiro

De acordo com o coordenador do programa brasileiro de etiquetagem, o chuveiro elétrico quando instalado seguindo todas as instruções do fabricante, de acordo com o manual é possível aproveitar praticamente 100% de toda a energia elétrica destinada a esse fim.

Quando o chuveiro é utilizado corretamente, ele pode ser sim, ao contrário do que muitos dizem, econômico e eficiente. A energia do chuveiro começa quando ocorre a decisão da compra de um modelo. Você precisa escolher os modelos que possuem a etiqueta do Inmetro, pois ela fornecerá todas as informações necessárias para que você escolha o modelo de acordo com a sua necessidade de consumo.

Na etiqueta do Inmetro contém as informações sobre consumo médio de cada produto, além de serem produtos que foram testados em laboratórios, ou seja, que não oferecem riscos para seus consumidores.

Uma dica que pode te ajudar muito no momento de economizar com a conta de energia elétrica, é na hora de escolher o seu chuveiro, optar por aquele que oferece diversas opções de regulagem de temperatura, pois você consegue adequar perfeitamente a temperatura com a época do ano, evitando assim gastos desnecessários.

Existem chuveiros desde modelos mais simples até os modelos mais sofisticados com temperatura eletrônica. O consumo do chuveiro é medido através da sua potência, por isso o consumidor deve ficar muito atento à sua potência.

A conta que deve ser feita sobre a potência do aparelho é a seguinte, muito simples, se você utilizar a potência máxima do seu aparelho, ou seja, quanto mais quente mais exigirá potência, maior será o gasto de energia. O consumo será reduzido quando for exigida menos potência do aparelho.

Se a sua intenção e preocupação for com a conta de luz no final do mês, você deve optar pelos modelos de chuveiro elétrico que possui uma potência menor, dessa forma, você conseguirá economizar bastante. Agora, se você espera no inverno tomar aquele banho escaldante, pode ter certeza de que a conta não será barata.

Para descobrir a potência máxima do seu chuveiro, você precisa levar em conta a média de potência dos chuveiros brasileiros que está entre 2.500w e 8.800w. O cálculo é realizado da seguinte forma: multiplique a potência em kw (1kW = 1000w) pelo seu tempo de uso em horas.

Agora que você já sabe como economizar na sua conta de luz, você já sabe o caminho. Se por acaso você já tiver um chuveiro instalado pense direitinho se não valerá investir em outro aparelho para conseguir economizar um pouco mais ao longo dos meses, e principalmente no verão.