Categorias
Dicas Instalações

Gerador de energia caseiro – dicas, como funciona

Quando vemos a palavra gerador de energia, automaticamente já pensamos em uma enorme maquina complexa, longe de poder ser reproduzido em casa, porém, ao entender o seu principio de funcionamento de um gerador, é possível reduzi-lo de uma forma simples, sem que haja grandes problemas e complexidades. Este tipo de experiência pode ser realizado em casa, e não traz nem um tipo de risco a você.

Principio do funcionamento de um gerador de energia

Um gerador de energia é uma maquina que transforma o seu trabalho em energia elétrica. Quando falamos em trabalho do gerador de energia, estamos nos referindo a força e deslocamento. Para que possamos exemplificar, podemos pensar na geração de energia em uma hidrelétrica. As hidrelétricas utilizam a força da água para ativar as bobinas para que assim gere a energia, depois, a mesma recai sob uma turbina acoplada ao rotor de um motor, assim a força do deslocamento da água recai sobre a turbina fazendo com que o rotor do motor se movimente, gerando assim a energia elétrica que chega as nossas moradias.

Diferença entre motor e gerador

Como já foi dito anteriormente, o gerador através de seu trabalho irá gerar a energia. Diferente do motor, que realiza seu trabalho através de uma fonte de energia. Para simplificar, esta maquina possuem o mesmo principio de funcionamento, porém, uma é o inverso da outra.

Como fazer um gerador de energia caseiro

Já entendido o funcionamento de um gerador de energia, agora vamos lhe ensinar a fazer o seu próprio gerador caseiro, siga a seguir o nosso passo a passo:

Antes de começarmos o passo a passo vamos primeiramente passar uma lista de materiais que será preciso ter em sua casa:

  • Dois CDs ou DVDs sem uso
  • Barbante
  • Motor de caminhão, ou de qualquer outro eletrodoméstico
  • Gominha
  • Três parafusos pequenos, porém, eles devem ser um pouco maior do que a carcaça do motor
  • Parafuso grande, auto atarraxante
  • Caixa de fita isolante ou outro tipo de apoio
  • Pedaço de papelão, pouco menor que os CDs, cortados em circulo
  • Base de madeira para fixar os componentes
  • Cola quente
  • LED

Pronto, agora que já sabemos quais são os materiais que iremos utilizar, vamos começar o passo a passo.

  1. Utilize os três parafusos pequenos para fixar o motor e seus terminais à base de madeira
  2. Cole o papelão entre os CDs
  3. No espaço que sobrar entre o papelão e os CDs, cole o barbante na superfície do papelão, como se ele fosse uma cobertura
  4. Faça um furo na extremidade dos CDs para fixar o parafuso não auto atarraxante
  5. Faça outro furo no papelão, acompanhando os furos centrais do CD, este furo deverá ser feito com o próprio parafuso auto atarraxante.
  6. Fixe a caixa de fita isolante ou outro apoio (não muito pequeno) aos CDs, este apoio vai dar estabilidade aos CDs.
  7. Certifique-se que a altura do barbante fixado nos CDs seja a mesma altura do rotor do motor
  8. Com o auxilio do parafuso, fixe os CDs ao suporte e a base de madeira
  9. Certifique-se que os CDs estão girando livremente e estáveis
  10. Depois de estarem acoplados, os CDs e o motor ao suporte de madeira, coloque a gominha envolta dos CDs ligando-os ao roto do motor, como uma correia de bicicleta.
  11. Utilize o parafuso fixado à extremidade dos CDs como uma manivela para gira0los, ao fazer isso se certifique que o rotor do motor acompanha o giro
  12. Ligue os LEDs aos terminais do motor

Se você seguiu corretamente nosso passo a passo, ao girar os CDs com a manivela, o LED ira ligar.

Entenda como funciona o gerador elétrico clicando aqui.

Categorias
Dicas Eletricista Instalações

Qual a diferença entre Fios e Cabo – dicas, passo a passo

Os condutores elétricos com nomes diferentes apenas pelo fato de terem distinções em suas composições internas, mas possuem a mesma finalidade e característica que é a condução de corrente elétrica. De acordo com a norma NBR NM 280:2011 que define a categoria dos condutores elétricos, os fios com apenas um condutor sólido enquanto os cabo são compostos por vários condutores menores de acordo com a sua classe, são feitos de cobre e também de alumínio, pois como todos nos sabemos, o cobre e o alumínio são metais com excelentes características condutoras de eletricidade.

Como fazer instalação elétrica externa ? dicas, passo a passo
Choques elétricos – dicas, passo a passo
Como fazer aterramento elétrico residencial – dicas

Fios elétricos

O fio condutor é formado por apenas um fio, com uma secção constante metálica em que não existe diferença em relação a capacidade de condução de corrente nas instalações elétricas. Devido à sua rigidez é mais fácil de partir se for dobrado algumas vezes. Por isso só são utilizados em situações em, que não vão ser dobrados, sendo assim, sua classificação é “classe 1: fio sólido composto por apenas um condutor”.

Cabo elétricos

O cabo condutor é formado por vários fios condutores, entrelaçados, fazendo assim com que ele seja mais flexível e suportando mais dobragem do que os fios elétricos, Por este motivo, os cabos elétricos são mais utilizados em ligações entre duas partes de um circuito que podem mudar de posição, sendo assim, ele é submetido a mais esforços de dobragem. Podemos encontrar cabos elétricos em todos os aparelhos eletrodomésticos.

A sua espessura ou a secção de um fio ou do cabo condutor, vai depender muito da quantidade de eletricidade que este terá de suportar. Pode ainda se dizer que existem atualmente diferentes tipos de condutores com variadas secções e com múltiplas configurações. Como por exemplo, posso salientar os condutores uni filiares – condutores de apenas um fio – os condutores bi filares – condutores de dois fios – e os condutores trifilares – condutores de três fios.

  • Classe 3: Composto por 7 condutores (Rígido)
  • Classe 4: Composto por 45 condutores (Flexível)
  • Classe 5: Composto por 75 condutores (Extra flexível)

Emendas

Nos cabos flexíveis e nos fios sólidos, não é possível fazer emendas pelo fato de o fio conter apenas um condutor e o cabo vários fios finos. Caso seja necessário fazer uma emenda em um destes fios, será necessário fazer o uso de conectores apropriados para tais finalidades ou fazer o uso do estanho com solda eletrônica. Caso você não faça o uso destas alternativas, não é recomendado fazer uma emenda. As emendas com boa isolação protegem mais o seu circuito de um futuro aquecimento e mau contato, certifique-se de que a sua emenda não esteja frouxa, pois um mau contato pode causar muitos danos ao seu imóvel e ocasionar no mau uso do aparelho.

Conclusão

Neste artigo foi lhe ensinado a diferença entre os cabo e os fios, tendo em vista que ambos possuem a mesma finalidade e não possuem diferença na sua capacidade de condução de corrente, com a lasse normatizada pela NBR NM 280:2011 que facilita assim sua distinção entre cabos e fios elétricos.

Conheça mais sobre os fios e cabos clicando aqui.

Categorias
Dicas Instalações

Instalação de Interruptor Duplo com Tomada – passo a passo

Os interruptores estão entre os dispositivos mais usados em instalação elétricas. Existem algumas variações de interruptores, para diferentes necessidades, como por exemplo, interruptores de sobrepor e embutir. Os interruptores servem para comutar, ligar ou desligar, um circuito, não apenas lâmpadas, porém são mais empregados nestas condições. Existem também variações nas seções dos interruptores, o interruptor simples, são usados para ligar lâmpadas ou um conjunto de lâmpadas, possui apenas uma seção e internamente dois parafusos para a ligação dos cabos (fase e retorno).
Existem também os interruptores simples de duas seções, eles são utilizados para fazer a ligação de duas lâmpadas distintas e possui dois parafusos em cada seção, para fazer a ligação dos fios.
Aprenda as técnicas para emendas em instações elétricas
Cabo Crossover – aprenda o que é
Marido de aluguel – dicas, passo a passo

hqdefault

Outro tipo de interruptor que é bom citar é o bipolar, ele possui quatro parafusos em cada seção, sendo que dois é para a ligação das fases, quando é utilizado em sistema bifásico e dois para a ligação dos retornos. Existem também os interruptores simples com três seções, estes interruptores ligam três lâmpadas ou três conjuntos de lâmpadas distintas, eles também possuem dois parafusos para cada seção totalizando em seis parafusos para cada ligação.

Caso a necessidade da instalação sela controlar ou um conjunto de lâmpadas de pontos distintos existe o interruptor “Three Way ou paralelo”, este é como um interruptor comum, mas possui um terceiro parafuso em cada seção, para a ligação especificada do Tree Way, que se trata de um retorno entre os interruptores. O interruptor intermediário ou “Four Way” faz o intermédio entre os dois interruptores Three Way, fazendo assim com que uma lâmpada ou um conjunto de lâmpadas seja acionada em 3 lugares distintos.

Interruptor Duplo com tomada

Como foi dito anteriormente, o interruptor duplo possui duas seções para controlar duas lâmpadas ou dois conjuntos de lâmpadas distintos, e é possível fazer a ligação deste tipo de interruptor conjugado com uma tomada. Lembrando que as tomadas devem seguir o padrão brasileiro de três pinos. Este padrão foi criado para dar uma maior segurança ao consumidor, diminuindo os riscos de croque elétrico e mortes. O terceiro pino trabalha como o aterramento diminuindo a exposição à corrente elétrica.

images

Para que você consiga fazer a instalação do interruptor duplo com tomada, é necessário saber algumas observações:

  • Primeiramente é necessário que você identifique os fios que estão chegando à caixa de distribuição – fase, neutro e terra. Caso sua ligação seja 220V será necessário que você ache duas fases.
  • Para a sua segurança desligue a chave geral
  • Confira a identificação dos cabos.

Como fazer a instalação do interruptor duplo com tomada

  1. Derivação do cabo fase para alimentar a tomada e os interruptores
  2. Derivação do cabo neutro para a tomada e lâmpada
  3. Ligue os cabos na tomada da seguinte forma: com os parafusos de frente para você, o parafuso da direita é destinado ao cabo neutro, o parafuso central é destinado ao cabo terra e o terceiro parafuso é destinado ao cabo fase
  4. No cabo fase, ligado ao parafuso do lado direito da tomada, faça uma derivação que vai alimentar os contatos centrais dos dois interruptores.
  5. Alimente os contatos centrais dos interruptores como cabo fase vindouro da derivação
  6. Ligue os cabos de retorno dos interruptores
  7. Parafuse o interruptor duplo com tomada na caixa de passagem
  8. Faça uma derivação do cabo neutro para alimentar as duas lâmpadas
  9. Ligue os cabos de neutro e retorno aos receptáculos
  10. Coloque as lâmpadas e teste.

Saiba também como fazer a instalação de tomadas USB.

Categorias
Dicas Instalações

Resistor fixo – como instalar, dicas, passo a passo

Quando falamos sobre o tema resistência elétrica, vimos que quando há uma resistência elétrica significante, a um obstáculo para a passagem da corrente, onde os elétrons tendem a ter uma dificuldade para se locomover. Visto isso veremos com mais clareza a aplicação dessa resistência através de um componente capaz de controlar a passagem da corrente através de um valor Ôhmico, os resistores. Os componentes capazes de regular a passagem da corrente elétrica são os resistor.  Os resistores fazem a transformação da energia elétrica em energia térmica, isto é, uma boa parte desta energia elétrica é dissipada pelo resistor em forma de calor, fenômeno denominado, efeito joule. Existem vários tipos de resistores, os fixos, ajustáveis e as variáveis. Neste artigo falaremos sobre os resistores fixos.
Disjuntor desarme a toda hora? dicas, passo a passo
Resistência elétrica – dicas
Interruptor dimmer – como fazer a instalação

resistores

Resistores fixos

Na sua forma construtiva, os resistores de carvão são inseridos no interior de um tubo e são misturados com um material de preenchimento, e de acordo com a quantidade de carvão granulados bem como o material de preenchimento que é inserido e obtido o valor da resistência. Estes resistores possuem um tamanho maior em relação aos demais resistores fixos e também possuem uma maior tolerância de cerca de 10 a 20%.

O valor da resistência é disponibilizado em cores, e é possível identificar através da tabela de código das cores.

Resistor de fio

São construídos a partir de um núcleo de cerâmica ou vidro que em sua volta é enrolado um fio de longo comprimento. Tendo como referencia o comprimento e o diâmetro do fio é possível determinar o valor da resistência.

Estes resistores são um ótimo dissipador de calor, geralmente possuem maiores potências e menores valores ôhmicos. Diferentemente dos outros tipos, o seu valor de resistência é fornecido no corpo do componente.

Resistência de filme de carbono

Resistor que possui um cilindro de cerâmica que é coberto por uma película de carbono. Na fabricação a determinação da resistência é feita através da largura e da espessura da película do filme de carbono. Este componente é o mais barato entre todos os outros, más de outro modo emite muitos ruídos quando energizado. O valor de sua resistência é disponibilizado em cores, e é responsável por identificar a resistência através da tabela de códigos das cores.

Resistores de filme metálico

Os resistores que possuem um cilindro de cerâmica que é coberto por uma película metálica, similarmente ao de filme de carbono, neste resistor a determinação da resistência é feita através da largura e da espessura da película metálica. Diferentemente do resistor de carbono, o ruído emite um por este resistor e bem baixo. Este também possui uma tolerância de 1% devido a sua película ser constituída de Níquel Ni-Cr (nicromo) o que garante uma maior precisão do valor da resistência. O valor da resistência também é disponibilizado em cores, e é possível identificar a resistência através da tabela de código das cores.

A aplicação desse tipo de resistores fixos é amplamente focada em equipamentos eletrônicos, onde é necessária uma regulação precisa do nível de corrente que circula pelo circuito.

Veja também quais são os elementos que complementam um painel de controle.