Categorias
Dicas

Por que tomamos choque na torneira do chuveiro? e como podemos economizar energia com seu uso?

Quando se tem algum corte no dedo, acaba sendo comum levar um choque na torneira do chuveiro leve ao ligar ou desliga-lo ne? Muita gente não entende o porquê disso acontecer, mas vamos tentar explicar.

Como instalar um disjuntor DR – dicas, passo a passo

No chuveiro á uma resistência que é responsável por captar toda a tensão elétrica e que faz o transporte de elétrons para água, causando assim o aquecimento. Como a água mantém contato direto com essa resistência e naturalmente, os minerais que estão nelas são excelentes condutores elétricos, quando ocorre algum tipo de escape da corrente elétrica, a água escorre por todo o cano.

Assim, caso a torneira do chuveiro seja metálica, vai acabar ficando energizada, causando aquela sensação de choque. Essa corrente que escapa é muito pequena e muitas vezes nem sentimentos o choque. Mas quando o corpo está com resistência baixa, por algum corte, por exemplo, o choque ocorre.

O primeiro passo para resolver esse problema de escape é contratar um bom eletricista, já que caso você não seja especialista em elétrica, pode ocorrer um acidente. Mas se você é apto para isso, será necessário aterrar seu chuveiro, ligando o cabo de terra ao sistema de aterramento de seu imóvel.

Choques elétricos – dicas, passo a passo

Como fazer a montagem de um Quadro de Distribuição

Aprenda como fazer a instalação de Ar condicionado Split

Uma saída um tanto quanto improvisada é o uso de sandálias emborrachadas para tomar banho sem ter riscos de tomar
choque na torneira do chuveiro ao tocá-lo. Vemos muitas pessoas também as utilizando quando o tempo está chuvoso e com raios.

Como economizar energia elétrica usando o chuveiro?

É normal os chuveiros elétricos terem uma chave com 3 temperaturas: inverno, verão e desligado, que acompanha as temperaturas indicadas para cada estação. No verão, por exemplo, há uma economia de 30% de energia pela falta de aquecimento da água.

Uma dica é evitar usar o chuveiro elétrico no momento em que outros aparelhos que puxam muita energia estejam sendo utilizados, já que nessa situação há uma sobrecarga na rede de energia elétrica.

Feche a água enquanto você estiver se ensaboando, isso vai economizar água e energia.

Outro ponto que devemos dar atenção é em não usar a resistência queimada, porque isso vai resultar no aumento do consumo de energia, além de ser bem perigoso.

Evite banhos demorados que gastem muita água e energia, já que além de não contribuir para o seu bolso, são prejudiciais ao meio-ambiente.

Não escove os dentes, faça a barba ou fazer depilação no banho. E dê uma atenção especial aos defeitos de instalação ou problemas com a fiação, com o auxílio de um profissional especializado. Não esqueça também de limpar os orifícios por onde a água sai no chuveiro.

Aquecedor de água a gás

Usar aquecedor a gás pode gerar uma economia entre 30 e 50% no gasto de energia elétrica com o chuveiro de casa. E vale notar que os gastos com banho representam cerca de 25% da conta de energia de uma casa, assim ter um aquecedor de água a gás pode gerar uma boa economia no final do mês.

Categorias
Curiosidades

Gato de energia elétrica é crime?

O gato de energia elétrica são ações realizadas para furtar energia através de ligações clandestinas. Por ser uma situação muito presente na realidade de algumas pessoas, ainda surge a dúvida se ter gato de energia elétrica é crime. Sim, é crime e pode ser inserido como crime de furto ou estelionato.

De acordo com a conduta da pessoa que tem ou fez o gato, será inserido em um dos dois crimes. Se por exemplo, for feita a ligação clandestina for feita antes de passar pelo relógio medidor, é considerado furto e se houver alterações nas características do medidor, para que assim se pague menos pela energia consumida, é considerado crime de estelionato.

Quais são as punições para o gato de energia elétrica? Tem multa?

As punições vão depender do tipo de crime que a pessoa for acusada. Sendo caracterizado por furto, a pena é de reclusão que varia de um a quatro anos e multa. Caso seja considerado estelionato, a pena de reclusão pode chegar a cinco anos, além de multa.

Além de todos os riscos previstos em lei pelo crime de roubo de energia, há outros tantos riscos que isso proporciona às pessoas que fazem essas ligações clandestinas. Ao fazê-las, há toda uma exposição a fiações energizadas e contato direto com o sistema de energia.

Um dos principais riscos é o risco de vida, já que ao ter contato com os fios energizados, poderá haver instantaneamente descargas elétricas, riscos de graves acidentes, onde essas descargas podem levar a pessoa a morte.

É preciso entender que ao sobrecarregar a rede elétrica com ligações clandestinas faz com que as companhias sofram prejuízos financeiros, além de em épocas de verão e chuvas fortes prejudicar a toda população da região.

Ter gato de energia elétrica em casa faz com que os vizinhos paguem pelo seu consumo clandestino.

Posso ser eximido da pena pelo furto de energia?

Sim, é possível a jurisprudência dos tribunais decidir após o pagamento do valor correspondente antes do recebimento da denúncia, a ação do consumidor seria atípica, sendo aplicado o princípio de insignificância.

Simplificando, a pessoa denunciada poderá se livrar do processo e de futura condenação pagando o débito antes do poder judiciário receber a denúncia. A explicação da justiça para isso é que o valor cobrado pelo serviço de energia por meio da concessão pública é de tarifa ou preço público, assim se assemelham aos próprios entes públicos que concedem.

Se a acusação for falsa, cabe indenização?

Em alguns casos, poderá gerar indenização. Há casos em que concessionárias de energia elétrica foram condenadas a danos morais pela acusação erradas sobre os fatos, tendo que indenizar o consumidor.

Os gastos de energia acabam impedindo que a companhia consiga identificar problemas elétricos na região, realizando os reparos necessários de forma mais rápida e precisa. Por isso o indicado é denunciar o gato imediatamente para que não haja prejuízos aos consumidores.

Todo mundo acaba perdendo, gerando prejuízo aos demais, já que parte do valor da energia furtada é dividida para a população. O que faz com que os certos arquem com os custos das pessoas que fazem gato.

Categorias
Curiosidades Dicas

Lâmpadas de LED – saiba tudo sobre.

Assim como os diversos setores do nosso cotidiano as
lâmpadas de LED e vários segmentos da nossa vida acompanham os avanços tecnológicos, trazendo o que há de mais moderno para facilitar a nossa vida ou nos trazer vantagens.

Como trocar o reator de lâmpadas

Lâmpadas de LED – Vantagens e desvantagens

Com a iluminação não poderia ser diferente, prova disso são as lâmpadas de LED, que logo em seu lançamento acabaram assustando um pouco os consumidores pelo preço maior que as comuns, mas que a cada dia tem dominado o mercado.

Há anos ter uma iluminação de LED em casa gerava um gasto muito grande, então acaba que a barreira de ter essa nova iluminação era muito forte. Mas com o tempo, as pessoas perceberam que por mais que o investimento fosse alto comparado aos demais tipo de iluminação, valia a pena, já que gerava redução na conta de luz.

A tecnologia usada na iluminação de LED é antiga, vem da década de 60, mas a utilização da mesma no cotidiano é recente, moderna e que agrada boa parte da população.

Como as lâmpadas funcionam?

O funcionamento é feito através de um diodo emissor de luz, o que mostra que ele é composto por material semicondutor e organizado em chips. Esses participam de um circuito elétrico que estimulam o movimento dos elétrons, fazendo com que a luminosidade seja liberada.

Diferente do que ocorre com as lâmpadas comuns, as de LED não têm filamentos que precisam ser esquentados. Quando há a queima de uma lâmpada normal, isso quer dizer que um dos filamentos deu problema, fazendo com que ela seja inutilizada.

Como as lâmpadas de LED não possuem esses filamentos, a durabilidade delas é bem maior, além de consumir 90% menor de energia das lâmpadas normais, o que gera uma grande economia a longo prazo.

Com o passar do tempo, essa tecnologia ficou muito evidente, fazendo com que envolvesse ainda mais adeptos e fizessem essa migração dos pequenos “sinalizadores” para dispositivos maiores e totalmente de LED.

Como econimizar energia? 110 ou 220? dicas, passo a passo

Aprenda como fazer a instalação de um Quadro de Distribuição – passo a passo

Aprenda como fazer a instalação de ar condicionado split – passo a passo

Quais são os custos x benefícios das lâmpadas de LED?

É fato que as lâmpadas de LED custam mais que as lâmpadas comuns, mas em contrapartida elas duram muitos anos e não há necessidade de gastar com manutenção. O consumo das luzes de LED tem seu consumo correspondendo a cerca de 13% das demais lâmpadas, fazendo com que o retorno do dinheiro investido com a compra das mesmas, seja certo e em um curto período de tempo.

É comum os preços das lâmpadas com tecnologia de LED variar muito, isso vai de acordo com a intensidade da luz e o como a mesma foi produzida. Espera-se que com a grande migração de consumidores das lâmpadas comuns para as de LED faça os preços cada vez mais caírem, fazendo com que a optar por LED seja cada dia mais vantajoso.

Um outro fator que faz com que o LED venha ganhando cada vez mais espaço no mercado de iluminação e decoração é a sua duração, que em média chega a 25 vezes mais que uma lâmpada comum com iluminação equivalente.

Um exemplo é uma só lâmpada pode durar por aproximadamente 14 anos, isso de acordo com o uso comum de luz em uma casa.

Categorias
Curiosidades Dicas

Aquecedor solar caseiro – saiba como fazer o seu

Sem dúvidas fazer um aquecedor solar caseiro não é uma tarefa fácil, mas também não é nada tão impossível. Você vai precisar ter o material necessário, usar técnicas básicas e lembrar de alguns conceitos de física estudados na época da escola.

Tabela de disjuntores – Como escolher, normas, tipos, dicas, passo a passo

Aprenda como fazer a instalação de ar condicionado split – dicas, passo a passo

Aquecedor elétrico – Dicas, passo a passo

É uma forma barata de ter um sistema de aquecimento solar caseiro e ecológico. Você montando um aquecedor solar caseiro, economizará bastante em energia elétrica, diminuindo a sua conta de luz e vai contribuir para o meio ambiente.

O aquecedor solar caseiro é uma maneira de converter a energia do Sol em energia elétrica, sem que haja envolvimento de eletricidade ou outros fatores arriscados, mas sempre recomendamos ter cuidado.

O que preciso de material?

Abaixo listamos os materiais necessários para fazer o aquecedor solar caseiro:

  • 2 tubos de PVC de 32 mm e 70 cm de comprimento;
  • 2 joelhos de PVC de 90 º soldáveis de 32 mm;
  • 1 adaptador de PVC 32 mm por 1”;
  • Duas luvas de PVC soldáveis de 32 mm;
  • 3 caps PVC de 32 mm;
  • Uma placa EPS (para isolamento térmico);
  • 1 cap PVC com rosca de uma polegada;
  • Placa de forro de PVC modular alveolar de 1,25 x 0,62;
  • 1 esmalte sintético (não imobiliário) preto fosco (cerca de 40 ml por coletor);
  • 1 adesivo bi-componente ou resina isofitálica.

Além desses materiais, será preciso ter ferramentas e itens como: furadeira, pincel, pregos, lixas e trenas.

Como é feita a montagem do aquecedor solar caseiro?

Tendo o material em mãos, a montagem do aquecedor solar vai parecer bem mais fácil. Primeiro é preciso adaptar os tubos de PVC de 70 cm os fixando bem e fazendo um corte de 61 cm de comprimento.

Não deixe de centralizar o corte, distribuindo as margens de 4,5 cm para cada lado, ficando uniformemente. O corte deve ter 1,1 cm de largura. Com o corte feito, use a lixa para fazer o acabamento de maneira que a placa alveolar encaixe sem sobras.

Encaixe a placa nos dois tubos, verifique se ficaram bem presos. Limpe com álcool e deite sobre uma camada de jornal, usando o adesivo ou a resina em volta do encaixa, nos 2 canos, para que vede bem. É ideal deixar secar por duas horas, vire a estrutura e faça a mesma coisa do outro lado.

Espere 24 horas para secar totalmente e pinte uma das faces, a superior, da estrutura com o esmalte preto fosco. Pinte também a face superior, menos as pontas dos tubos, para que não impeça o encaixe dos outros objetos.


Instalações Elétricas: Montagem de um Quadro de Distribuição

Com a parte estrutural pronta, você terá o coletor pronto. Depois daí resta a montagem em relação à estrutura. Use os componentes que vedam as saídas de duas das quatro. As saídas que estão liberadas devem estar uma na diagonal da outra.

Em uma dessas duas saídas, deverá passar a entrada de água, pelo bombeamento da piscina e na outra, você deve encaixar a tubulação que faz o retorno da água para a piscina.

Pronto, o seu aquecedor solar caseiro está feito! Como mostramos, no início pode até parecer difícil, mas não é bem assim. Agora você poderá aproveitar todas as vantagens de ter um aquecedor solar caseiro na sua casa.