Categorias
Dicas

Nbr 5419 proteção contra descargas atmosféricas

Desastres naturais são fenômenos impossíveis de serem controlados, seja por engenharia ou por satélite, não há como parar nenhum tipo de fúrias da natureza.
Sendo assim as descargas atmosféricas quando atingem o planeta Terra, pode prejudicar a vida do ser humano, podendo levar até a óbito, sem contar com os problemas causados pelas descargas fortes em arvores, fiações,tubulações, casas e prédios desprotegidos, parques e etc.

A importância do aterramento elétrico
Aterramento exclusivo ou separado?
Aterramento a caixa de inspeção – dicas, passo a passo
Foi assim que o programa de proteção contra descargas atmosféricas surgiu, como Nbr 5419.
Em seguida explicarei mais sobre esse programa que vem evoluindo a cada passo que alcança, para a proteção dos seres humanos e seus bens materiais.
O Que é Nbr 5419?

Como já dito, sabemos que não podemos controlar os desastres naturais do planeta terra, os raios não respeitam a natureza muito menos os seres humanos, então o que podem fazer para ao menos se proteger dessa catástrofe que destrói ruas, arvores, casas, prédios, fabricas, eletrodomésticos, e muito mais. A ABNT (Associação brasileira de normas técnicas) foi fundada em prol dessas descargas atmosféricas, para que elaborassem proteções contra descargas atmosféricas ( Raios ).

Saiba mais

Para irmos mais a fundo, e melhor entendimento, acompanhe sobre alguns dos termos e definições do Nbr 5419.

  • Descarga Atmosférica para Terra é uma descarga elétrica vindo da atmosférica entre as nuvens e a Terra.
  • Descarga Atmosférica descendente é a descarga atmosférica iniciada por um líder descendente de uma nuvem para a Terra.
  • Descarga Atmosférica ascendente é uma descarga iniciada por um líder ascendente de uma estrutura aterrada com destino as nuvens.
  • Componente de descarga atmosférica é uma descarga elétrica singela de uma descarga atmosférica para terra.
  • Componente curta da descarga atmosférica é parte de uma descarga atmosférica para terra que corresponde a um impulso de corrente
  • Componente longa da descarga atmosférica é parte de uma descarga atmosférica para terra que corresponde a componente da corrente de continuidade.
  • Múltiplos componentes da descarga atmosférica é uma descarga atmosférica para a terra que consiste em media de três a quatro componentes com um intervalo de tempo típico entre eles de cerca de 50 metros por segundo.
  • Ponto de impacto é o ponto onde uma descarga atmosférica atinge a Terra ou um objeto elevado como prédios, arvores e etc…
  • Corrente da descarga atmosférica é a corrente que flui no ponto do impacto
  • Valor de pico da corrente é o máximo valor da corrente atmosférica
  • Taxa média de variação da frente de onda do impulso da corrente é a média de variação da corrente em sua frente de onda no intervalo entre os instantes em que são atingidos 10% e 90% do valor do pico.
  • Duração da descarga atmosférica é o intervalo do tempo em que a corrente da descarga atmosférica flui no ponto de impacto.

Esses são alguns de seus termos e definições, a importância das definições em instalações prediais, residenciais e comerciais, são os sistemas que são feitos para a proteção de todos os que utilizam seu espaço, minimizando o impacto dos raios nas cidades graças ao programa Nbr 5419.

utilizam seu espaço, minimizando o impacto dos raios nas cidades graças ao programa Nbr 5419.

Categorias
Normas ABNT

NBR 5419 – Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas

NBR 5419 – Uma das normas técnicas mais comuns entre os eletricistas e que deve ser de comum conhecimento é a NBR 5419, que padroniza as ações quanto à proteção de estruturas contra descargas atmosféricas. Confira o que diz as normas padrões.

O que diz a NBR 5419

A nova versão da NBR 5419 já está disponível ao público desde junho deste ano. Para quem ainda não a conhece, se trata dos procedimentos e métodos sobre os dispositivos de proteção contra as intempéries elétricas de origem atmosféricas. Você pode acessá-la na íntegra neste link.

O que mudou na NBR 5419 em 2015

Recentemente, ocorreram algumas mudanças na NBR 5419, as normas técnicas referentes ao modo de proteção e dispositivos contra descargas elétricas. A primeira mudança entre esta e a sua antiga versão (de 2005) está na quantidade de páginas. A norma anterior possuía 42 páginas, e a norma atual passou a ter aproximadamente 380 páginas.

NBR 5419

Outra mudança refere-se ao anexo B da norma de 2005, (análise de necessidade de proteção), já que na norma 2015 passou a ser chamado de Análise de Risco, onde além dos fatores de ponderação existente, novos fatores de risco para a edificação que até então não eram analisados passaram a ser observados com mais rigor. Agora, o nível de proteção as medidas complementares deverão ser tomadas para garantir uma proteção eficiente a edificação, pessoas e instalações.

Sobre as quantidades de métodos de proteção, não houve alterações, sendo indicados os métodos dos Ângulos (Franklin), Modelo Eletrogeométrico e Método das Malhas. Mas há mudanças que ocorreram no Método dos Ângulos com o aumento significativo do alcance de pequenos captores, particularmente até 2 metros. Já Método das Malhas teve seus meshs (reticulados) reduzidos para: classe 1 = 5x5m; classe 2 = 10x10m; classe 3 = 15x15m e classe 4 = 20x20m. Quanto ao espaçamento das descidas e dos anéis horizontais passaram a ser classe 1 = 10m; classe 2 = 10m; classe 3 = 15m e classe 4 = 20x20m. E o Método Eletrogeométrico permaneceu inalterado.

Já o que diz respeito ao arranjo A (aterramento pontual), este foi retirado da norma, permanecendo apenas o arranjo B (em anel) circundando a edificação e interligando todas as descidas. Este anel deve estar, no mínimo, 80% em contato com o solo.

É importante ressaltar que a medição da resistência ôhmica do aterramento do SPDA, bem como o anterior valor sugerido de 10 ohms, foram retirados da norma. E a tabela de condutores de captação, descidas e aterramento foi aprimorada com novos materiais (aço cobreado, alumínio cobreado) e novas dimensões mínimas e tolerâncias foram definidas.

Além disso, o gráfico de comprimento mínimo de eletrodo enterrado e a resistividade do solo agora foi estendido também para nível 2 de proteção, sendo que anteriormente só havia relação direta entre os 2 parâmetros no nível 1.