Categorias
Dicas Eletricista Instalações

Tipos de transformadores – dicas, passo a passo

Saiba qual a diferença entre os tipos de transformadores: seco ou a óleo

Para ter um transformador deve se gastar muito dinheiro, e sua manutenção também, porem dependendo do porte da empresa é de extrema importância que tenha um transformador, por isso é bom saber a diferença entre Trafo seco e Trafo a óleo.

Como fazer a limpeza de ar condicionado? dicas, passo a passo
Como fazer a montagem de quadro de distribuição
Como economizar energia? dicas, passo a passo

Por isso neste artigo iremos abordar este assunto, neste assunto vamos fazer uma beve analise sobre os benefícios e quando usar o óleo ou o ar no transformador.

  1. Por que utilizar o óleo ou o ar nos transformadores?

Os transformadores tem um alto teor de aquecimento, este aquecimento é efeito joule e também pela corrente parasita, desta forma para realizar o resfriamento é desenvolvido geradores a óleo e a seco.

Este resfriamento ocorre com a troca entre o óleo e o ambiente, e no outro modelo com a troca de ar. Alguns transformadores para a geração e transmissão de energia utilizam bombas que podem reciclar este material.

Eles também podem servir como isolantes das bobinas, com isso o óleo possui uma maior eficiência nesse modo, pois e compararmos a rigidez dielétrica entre o ar e o óleo se compararmos mesma potencia e capacidades.

 

  1. Qual o melhor modelo de Trafo?

Estamos falando de um produto que é muito caro, então procure sempre se enformar sobre tal produto observe se este produto é o qualificado para suprir as necessidades de sua empresa.

Consulte sempre a norma NBR 14039 antes de iniciar seu projeto, nela podemos notar que existe um fator quase decisivo para a compra ou instalação de um Trafo, se seu transformador for à parte interna da empresa, não pode ser utilizado o transferidor a óleo, pois tem um certo grau de risco, por isso deve ser instalado somente externamente.

  1. 4 pontos chaves que determina qual transformador a empresa deve ter.

 

  • O primeiro ponto é a segurança. Neste aspecto o óleo perde, pois este óleo é altamente inflamável e sua pintura é feita a base de epóxi, assim o local da instalação é um fator decisivo na empresa.
  • O segundo ponto já é justamente onde deve ser instalado, leve em conta onde estão as maquinas e o preço dos fios de proteção, então novamente o ar sai na frente, pois ele pode ser próximo as maquinas.
  • Ainda sobre a instalação, o terceiro ponto ira falar sobre o preço da manutenção, não leve só em conta o preço de peças, mas também o tempo que pode levar a manutenção do transformador.
  • E o quarto e ultimo ponto, vamos ver a questão ambiental, por maior que seja a empresa e tenha um reservatório onde trata este óleo, isso só causa mais dor de cabeça nas empresas, veja abaixo oque o óleo e o ar faz, e escolha o correto.

Óleo ou a seco?

  • Restrições ecológicas:
  • Seco: Isento
  • Óleo: Contaminável
  • Segurança:
  • Seco: sem propagação de chamas
  • Óleo: inflamável e risco de explosão
  • Instalação:
  • Seco: menor
  • Óleo: maior
  • Manutenção:
  • Seco: isento de substituições
  • Óleo: necessita trocar o óleo e guarnições periodicamente conforme cada fabricante.
Categorias
Dicas

Trafo – o que é? qual a finalidade? manutenção preventiva,dicas, passo a passo

Também denominado de trafo, os transformadores são dispositivos elétricos cuja finalidade reporta ao isolamento de um circuito, elevar ou diminuir uma determinada tensão e também agem como filtros em circuitos de radiofreqüência. Dependendo da sua função, os transformadores possuem uma tipologia, construção e tamanho específico, admitindo assim múltiplas finalidades em diversos setores de atividade (indústria, mecânica, entre outros).

Como descobrir a potência do transformador?
Transformador de voltagem
Como montar um transformador monofásico

Um transformador possui na sua constituição pelo menos 02 enrolamentos, sendo que na maioria dos casos ambos são independentes entre si – embora sofram a ação do campo eletromagnético, cuja intensidade é maior quanto esses transformadores possuam um núcleo de material ferromagnético. No plano teórico, o transformador necessita de transferir toda a sua potência do primário (enrolamento de entrada) para o secundário (enrolamento de saída), mas na prática é possível observar que existe uma perda de potência nesse processo de transferência que é causada por diversos fatores, nomeadamente a resistência de fio.

 

É importante distinguir que o enrolamento primário é aquele onde se obtém a tensão que se pretende transformar, sendo que o enrolamento secundário é aquele onde se obtém a tensão desejada – e, no caso desta última, ela é dependente da relação entre os dois enrolamentos e da tensão que é aplicada no enrolamento primário, confirmando-se assim a existência de uma relação causa-efeito.

Com relação ao seu funcionamento, é relevante mencionar que, independente da sua tipologia e finalidade, todos os transformadores sofrem um aquecimento mais ou menos significativo durante o seu funcionamento, processo esse que deriva das perdas naturais que todos eles sofrem. Nessa lógica, quanto mais elevada é a potência retirada nos secundários de um trafo, maior é o aquecimento que o mesmo atinge – sendo que este fator conduz a outra questão igualmente relevante: a existência dos núcleos e os materiais que os constituem.

Os núcleos devem ser produzidos à base de chapas de ferro silício, sendo que ferro doce, maciço ou comum não servem para o propósito anteriormente citado, dado que a sua qualidade está implicitamente ligada à sua adequação e desempenho satisfatórios.

 

Manutenção preventiva em trafo: saiba o que é

Com relação à conservação do trafo e ao prolongamento do seu tempo útil de vida, a manutenção preventiva visa acompanhar periodicamente as características e propriedades dos diversos componentes do seu sistema e, quando registra uma hipótese de anomalia, proceder a uma intervenção preventiva. Do ponto de vista econômico e da relação custo-benefício, a manutenção preventiva se apresenta como a metodologia mais vantajosa, sendo que também se destaca por outro benefício adicional: evita intervenções precoces e a substituição de partes dos equipamentos que ainda se encontram em bom estado de conservação e funcionamento.

De forma a que os resultados sejam verdadeiramente satisfatórios e haja lugar a uma ação de prevenção eficaz, a manutenção preventiva deve ser somente realizada por um profissional credenciado para o efeito, já que o desconhecimento que leve a uma ação mal realizada pode comprometer o componente em análise e, em última instância, todo o funcionamento global do transformador, podendo até levar ao seu desgaste por completo.